Fundação de Ação Social de Curitiba

Skip Navigation Links

Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa

Publicado em 19/06/2017 Imagem: Comunicação FAS imagem conteudo

Legenda com descrição da imagem em destaque

Para prevenir a violação de direitos, atender e proteger a pessoa idosa, a Rede de Atenção e Proteção à Pessoa Idosa em Situação de Risco para a Violência, em Curitiba, promove neste mês ações integradas e intersetoriais. A Fundação de Ação Social (FAS) e as secretarias municipais da Saúde e da Educação participam das ações, que marcam o Dia Mundial da Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, lembrado nesta quinta-feira (15/6).

A FAS aborda o tema nos serviços de proteção social. As equipes técnicas que trabalham nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras), Centros de Referência Especializados da Assistência Social (Creas) e nos Centros de Atividades para o Idoso (Catis) orientam a população. “Queremos fortalecer a função protetiva da família, o que contribui para a melhoria da qualidade de vida e resulta em um envelhecimento saudável e em condições de dignidade”, diz a diretora de Proteção Social Básica da FAS, Alzenir Sizanoski Santos.

As atividades acontecem em toda a rede de atendimento do município, que é composta por 45 Cras, nove Creas e cinco Catis. Atualmente, em Curitiba, mais de 2.550 pessoas acima de 60 anos participam de 190 grupos de convivência e fortalecimento de vínculos, ofertados pela assistência social.

Nos Cras, as pessoas idosas participam de atividades artesanais e socioeducativas que abordam vários temas, como direitos humanos, memória, envelhecimento ativo e saudável.

Nos Catis a ordem é se mexer e manter a cabeça ativa. Nesses espaços, os participantes podem fazer aulas de ioga, dança de salão, canto e seresta, dança circular e pintura em tela. Todas as atividades têm o objetivo de promover a autonomia, o protagonismo e a convivência social.

Tipos de violência

Alzenir explica que a violência contra o idoso começa quando a sociedade fragiliza as relações e desvaloriza a pessoa idosa, levando-a a perder a oportunidade de participação, pelo simples julgamento de que é lento, incapaz, ultrapassado. Isso influencia o modo como o próprio idoso vê e pensa a vida e a si próprio. “Essa violência ganha um aspecto diferente e, até certo ponto, dramático, considerando tratar-se de um indivíduo para quem as possibilidades de ascensão social já foram fechadas e o sentido de destino e de esperança já foram perdidos”, diz.

Há vários tipos de violência contra a pessoa idosa. Entre elas, está principalmente a violência doméstica, que acontece por meio de empurrões, beliscões, tapas e agressões, causando, muitas vezes, ferimentos e lesões letais; o abandono e negligência, e a violência psicológica, quando existe o impedimento de liberdade de locomoção e de convívio social.

Há, ainda, a violência financeira, causada por disputas pela posse dos bens ou fraudes em relação às pensões, aposentadorias e outros bens.

Cenário de violência

O ambiente idealizado para proteger é o que mais agride para 75% das pessoas idosas, vítimas de violência, registradas pela Secretaria Municipal da Saúde. Familiares são os principais responsáveis pelas situações de violência e respondem por 64% delas, só os filhos somam 42%.

No ano passado, foram registrados 397 casos de agressão a idosos em Curitiba, apesar de apenas 349 serem residentes no município. São as mulheres que mais sofrem, com 64,5% das notificações. A violência classificada como intrafamiliar responde por 75,1% das notificações, seguida pela autoprovocada (12%); extrafamiliar (10,6%); e institucional, (1,7%).

Apesar de negligência ser a violência mais notificada (48,2%) no âmbito geral, a idade da vítima influencia no tipo de violência. Antes dos 70 anos, é a violência física que mais aparece, responsável por 43,7% das notificações.

A relação inverte depois desta idade e a agressão física fica em segundo lugar. Para idosos acima de 85 anos a negligência é responsável por 78,6% das notificações.

Onde procurar orientação ou denunciar:

• Unidades municipais de Saúde

• Serviços da FAS

• Delegacia mais perto de casa

• Ouvidoria da Secretaria Municipal da Saúde: 0800-64-40041

• Central Municipal: 156

• Disque Idoso do Paraná: 0800-41-0001

• Disque 100 (Direitos Humanos, nacional)

Dia Mundial

O dia 15 de junho foi instituído como o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa em 2006, pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa.

O objetivo é sensibilizar a sociedade para o combate à violência contra idosos e disseminar o entendimento da violência como violação aos direitos humanos. No Brasil, as situações de violência são de notificação obrigatória.

Fundação de Ação Social

Rua Eduardo Sprada, 4520|3350-3500|CEP 81270010|Curitiba - PR|Todos os direitos reservados|Política de Privacidade

Desenvolvido por ICI - Instituto das Cidades Inteligentes