Fundação de Ação Social de Curitiba

Protejo começa a atender 300 jovens no Sítio Cercado

  • 3- Presidente da FAS, Fernanda Richa, lança o Projeto Protejo no Sítio Cercado
  • 7- Presidente da FAS, Fernanda Richa, lança o Projeto Protejo no Sítio Cercado
Publicado em 11/3/2010 Imagem: Rogério Machado imagem conteudo

3- Presidente da FAS, Fernanda Richa, lança o Projeto Protejo no Sítio Cercado

A presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Fernanda Richa, e o secretário municipal da Defesa Social, Itamar dos Santos, lançaram nesta quinta (11), o projeto Protejo. A iniciativa conta com parceria do Ministério da Justiça, por meio do programa Nacional de segurança Pública com Cidadania (Pronasci), e vai atender 300 jovens na faixa de 15 a 24 anos, que vivem em situação de risco ou vulnerabilidade para a violência urbana.

"Vamos resgatar e capacitar esses jovens, que estão vulneráveis a questões como drogas e outros tipos de violência, para dar a eles uma nova condição e vida, um futuro respeitável, com cidadania e induzir esse jovem a ter um envolvimento maior com sua comunidade", disse Fernanda Richa.

O lançamento do Protejo aconteceu na Escola Municipal Rejane Sachette, na Vila Tecnológica, no Sítio Cercado. Os 300 jovens foram escolhidos pelas equipes do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) e pelas Mulheres da Paz, que integram outra ação do Pronasci na região do Sítio Cercado. Participaram do lançamento os vereadores Pedro Paulo dos Santos, Roberto Hinça e João do Suco.

"O objetivo desse conjunto de ações que estamos implantando no Sítio Cercado é transformar o bairro em um Território da Paz, com a redução dos índices de criminalidade e de outros problemas sociais, como a gravidez na adolescência e o uso de drogas", explica o secretário da Defesa Social, Itamar dos Santos.

O Projeto de Proteção de Jovens em Território Vulnerável (Protejo), em Curitiba também chamado de Jovem Cidadão, tem por proposta a formação da cidadania e o resgate dos jovens em situação de vulnerabilidade social ou expostos à violência, por meio de atividades culturais, esportivas, educacionais e profissionalizantes, disponibilizadas num programa de capacitação denominado ?Percurso Social Formativo?.

São 800 horas de atividades em conteúdos como informática básica e avançada, encontros para uma convivência cidadã e oficinas para despertar o sentimento de pertencimento social. ?Não é a intenção alterar personalidades, mas sim construir cidadãos curitibanos conscientes, que estejam do lado do bem?, explica Marlon Cardoso, coordenador das ações do Pronasci em Curitiba.

"Eu tenho grande esperança nesse programa, porque abraça a causa de muita gente. Eu indiquei um jovem que precisa de ajuda, porque os pais dele são usuários de drogas. Com nossa ajuda, ele conseguirá evitar o envolvimento com as drogas e poderá ajudar os pais dele a sair dessa situação", afirmou a líder comunitária Josenei Aparecida de Oliveira, presidente do Clube de Mães Unidos do Sambaqui.

Para o estudante Huelton Alessandro Mich, de 18 anos, o Protejo é uma grande oportunidade que se abriu. "Além de receber ensinamentos importantes e orientação para ajudar a me manter longe da violência, vou poder aprender uma profissão, para ter um bom emprego", disse Huelton, que durante a solenidade de lançamento do protejo representou os 300 jovens participantes.

Cristiane Mendes, de 21 anos, que mora na região do Osternack, também tem grandes esperanças. "É uma oportunidade de estudar, de ter uma profissão e ter um bairro melhor", disse Cristiane.

A gestão do Protejo em Curitiba será feita pela FAS, em parceria com a Secretaria Municipal da Defesa Social. O protejo atuará especialmente na proteção de jovens que vivem em áreas consideradas territórios vulneráveis. Na primeira fase, o projeto será implantado no bairro Sitio Cercado onde serão atendidos 300 jovens.

Para participar do Protejo, o jovem passa por um processo de avaliação de uma comissão especial formada pela Delegacia do Adolescente, Ministério Público, Defesa Social, Saúde e Fundação de Ação Social. A avaliação leva em consideração critérios pedagógicos e socioculturais, conforme as diretrizes do Pronasci, desenvolvido pelo Ministério da Justiça em parceria com os municípios.

Os jovens, de ambos os sexos e com idade de 15 a 24 anos receberão uma bolsa-auxílio no valor R$ 100 por mês, no período de 12 meses. Para receber o auxílio o beneficiário terá que frequentar oficinas socioeducativas e avançar nos estudos.

O processo de seleção dos jovens em situação de risco está sendo feito pelo grupo Mulheres da Paz. Desde fevereiro, o grupo passou a atuar no Sítio Cercado para identificar os casos e mediar conflitos entre os moradores, bem como a reduzir a violência doméstica e social das comunidades.

O Sítio Cercado foi escolhido pelo Ministério da Justiça para receber as ações do Pronasci após uma criteriosa análise estatística que levou em consideração os casos de violência combinadas com indicadores sociais diversos, como número de casos de gravidez na adolescência, dependência de drogas, além do número de adolescentes moradores da região.

"Sabemos que vamos disputar esses jovens com a criminalidade, especialmente com o tráfico de drogas, mas vamos levá-los para o lado do bem e vamos transformar o Sítio Cercado num Território da Paz, como é o objetivo de todas as ações do Pronasci", diz o secretário.

EIXOS DE AÇÃO DO PROTEJO:

- Fortalecimento da cidadania: formação para uma participação social ativa a partir de orientações e aulas sobre os direitos humanos, etnia, combate ao preconceito e a violência;

- Proteção ao jovem: Acompanhamento de assistentes sociais e proteção dos jovens expostos às violências domésticas ou urbanas, residentes na localidade priorizada pelo Pronasci;

- Pacificação social: Implementação de ações que garantam a segurança, o desenvolvimento saudável e a convivência juvenil pacífica;

- Emancipação juvenil: Reintegração do jovem a sociedade, no objetivo de garantir à oportunidade de acesso a educação e ao trabalho;

- Formação de redes: Integração entre os poderes públicos e entidades civil que visam o atendimento ao jovem.

Compartilhe  Facebook

Fundação de Ação Social

Rua Eduardo Sprada, 4520|3350-3500|CEP 81270010|Curitiba - PR|Todos os direitos reservados|Política de Privacidade

Instituto Curitiba de Informática